Pular para o conteúdo principal

Meu Porfiar Filosófico!


Precisar o quando e o como do despertar filosófico em mim, não me parece tarefa fácil, como se diz no senso comum: acho que filosofo desde que me conheço por gente. Então pensar a filosofia em minha trajetória de vida é pensar a existência em toda sua complexidade.
Na busca pela precisão cronológica, me vejo muito menina, diante de uma arapuca onde uma Rolinha se debatia, era pratica comum entre os meninos da roça, espalhar por toda parte aquele tipo de armadilha para aprisionar passarinhos, a arapuca em questão era obra de um primo que sempre me fora muito querido, mas que naquele momento, diante do sofrimento do pequeno pássaro, transformava-se aos meus olhos em carrasco cruel. Eis o primeiro grande dilema do qual tenho lembrança, dilema ético, visto que, libertar o pássaro seria trair a confiança do meu primo, e deixá-lo lá a se debater até ser levado para uma gaiola, de onde jamais sairia vivo, me tornava cúmplice daquela crueldade, não que aos seis anos de idade tivesse eu consciência do significado de traição e de cumplicidade, só sabia de uma coisa, tinha que fazer a coisa certa, era o que meus pais diziam o tempo todo: “não pode, porque não é certo, tem que fazer isso ou aquilo, porque é a coisa certa”. O certo dizia meu coraçãozinho choroso, era libertar o pássaro. Fiz a coisa certa, porém, senti um aperto ainda maior no coração ao ver a rolinha sumir diante dos meus olhos, estragar o trabalho de horas do meu primo não fora certo, ele ficaria triste, e minha mãe me castigaria quando soubesse. Naquele momento tive consciência da relatividade,  certo ou errado muitas vezes é uma questão de ponto de vista, ou seja, o justo para com  o pássaro era injusto para com meu primo, como explicar a ele meu ato de compaixão para com aquela rolinha? Pior! Como explicar para minha mãe o que  fazia eu, sozinha no meio do mato a me meter com coisas de meninos?
Desde então estou eu a porfiar pela vida tropeçando nas arapucas, abrindo umas, desviando de outras tantas (por questões de sobrevivência), procurando “fazer a coisa certa”, conservando contra toda e qualquer lógica a inquietude de minha meninice, não me conformando com o que me parece injusto, e indagando o que é afinal a justiça?


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A APROFFIB apoia e convida a todos para GREVE GERAL no dia 30 de junho

LUTAR É PRECISO!!!
A APROFFIB apoia e convida a todos para GREVE GERAL no dia 30 de junho
"Morrer ou deixar morrer" Não é querer fazer alusão as ideologias nazistas ou a qualquer tipo de ideologias, nem é ser anarquista, mas pelo contrário, é suscitar uma atitude crítica na sociedade em que vivemos. Recordarmos Nietzsche quando diz que nos tornamos passíveis diante dos problemas sem questionar ou lutar, enfim quando fugimos dos nossos direitos, transferimos o nosso poder a outras pessoas. Assim nós o perguntamos “morrer, ou deixar morrer”? Morrer é lutar pelos seus direitos, é lutar pela vida é fazer algo de sua existência, e deixar morrer é simplesmente cruzar os braços para tudo, para sociedade e principalmente para esse governo que nos massacra e tira de nós trabalhadores o direito à vida digna, o direito ao trabalho digno e principalmente o direito de se aposentar. E hoje, o que estamos fazendo? Durante o nazismo, o povo alemão matou e deixou morrer “por não saber o que ac…

Nota da APROFFESP sobre a greve geral de 30 de junho/2017

Nota da APROFFESP sobre a greve geral de 30 de junho/2017
“Trabalhadores do mundo inteiro uni-vos!” (K. Marx)

A greve geral do dia 30 de junho foi mais uma data que marcou significantemente a disposição de vários setores da classe trabalhadora em enfrentar de forma organizada os ataques aviltantes impostos pelo governo Temer com o aval do Parlamento, que na sua grande maioria está comprometido com esquemas de corrupção e ainda com a benevolência do STF, cujos membros são indicados pelo Presidente da República, o que no mínimo nos leva a duvidar da imparcialidade de seus ministros, sempre expostos aos interesses escusos das quadrilhas organizadas nos bastidores do poder.
Embora tenha ficado nítido um recuo (que precisa ser explicado!) por parte das grandes centrais sindicais, que diferente do dia 28 de abril, não se empenharam na convocação e na mobilização para garantir uma greve geral. Mesmo assim, aconteceram grandes manifestações por todo o Brasil com repercussão em vários órgãos de i…

Concurso: DIRETOR DE ESCOLA

Gargo:  DIRETOR DE ESCOLA
Inscrições:  de 03/07/2017 a 17/07/2017
Salário:  R$ 3.834,00
Data da Prova:  03/09/2017
Nível:  Superior
Vagas Disponíveis:  1.878
Organizadora:  Nosso Rumo
Edital de Abertura
Taxa de Inscrição: R$ 82,73

O conteúdo programático está pautado na Resolução SE 56, de 14-10-2016

Segue uma versão mais organizada

Resolução SE 56, de 14-10-2016
Dispõe sobre perfil, competências e habilidades requeridos dos Diretores de Escola da rede estadual de ensino, e sobre referenciais bibliográficos e legislação, que fundamentam e orientam a organização de concursos públicos e processos seletivos, avaliativos e formativos, e dá providências correlatas
Pode ser uma chave de interpretação a definição do perfil do Diretor de Escola da rede estadual de ensino, que propicieeducação básica inclusiva, democrática e de qualidade
Diretor de Escola
Sumário 1. Perfil do Diretor 2. Princípios que orientam a ação do diretor na SEE-SP 2.1. Compromisso com uma educação com qualidade e da aprendi…