segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Meu Porfiar Filosófico!


Precisar o quando e o como do despertar filosófico em mim, não me parece tarefa fácil, como se diz no senso comum: acho que filosofo desde que me conheço por gente. Então pensar a filosofia em minha trajetória de vida é pensar a existência em toda sua complexidade.
Na busca pela precisão cronológica, me vejo muito menina, diante de uma arapuca onde uma Rolinha se debatia, era pratica comum entre os meninos da roça, espalhar por toda parte aquele tipo de armadilha para aprisionar passarinhos, a arapuca em questão era obra de um primo que sempre me fora muito querido, mas que naquele momento, diante do sofrimento do pequeno pássaro, transformava-se aos meus olhos em carrasco cruel. Eis o primeiro grande dilema do qual tenho lembrança, dilema ético, visto que, libertar o pássaro seria trair a confiança do meu primo, e deixá-lo lá a se debater até ser levado para uma gaiola, de onde jamais sairia vivo, me tornava cúmplice daquela crueldade, não que aos seis anos de idade tivesse eu consciência do significado de traição e de cumplicidade, só sabia de uma coisa, tinha que fazer a coisa certa, era o que meus pais diziam o tempo todo: “não pode, porque não é certo, tem que fazer isso ou aquilo, porque é a coisa certa”. O certo dizia meu coraçãozinho choroso, era libertar o pássaro. Fiz a coisa certa, porém, senti um aperto ainda maior no coração ao ver a rolinha sumir diante dos meus olhos, estragar o trabalho de horas do meu primo não fora certo, ele ficaria triste, e minha mãe me castigaria quando soubesse. Naquele momento tive consciência da relatividade,  certo ou errado muitas vezes é uma questão de ponto de vista, ou seja, o justo para com  o pássaro era injusto para com meu primo, como explicar a ele meu ato de compaixão para com aquela rolinha? Pior! Como explicar para minha mãe o que  fazia eu, sozinha no meio do mato a me meter com coisas de meninos?
Desde então estou eu a porfiar pela vida tropeçando nas arapucas, abrindo umas, desviando de outras tantas (por questões de sobrevivência), procurando “fazer a coisa certa”, conservando contra toda e qualquer lógica a inquietude de minha meninice, não me conformando com o que me parece injusto, e indagando o que é afinal a justiça?


Tempos Difíceis: Apesar de Temer... Nada deve parecer Impossível de Mudar!

Segundo Vídeo do Canal (Sem Edição e sem produção) Deixe o seu (y) Comentários e sugestões!

Tempos Difíceis: Apesar de Temer... Nada deve parecer Impossível de Mudar!



Apresentação do canal: Meu paradoxo

Enfim criei coragem... Dá uma olhadinha no meu "Canal Experimental" 
deixem seu (Joinha) sugestões... e o mais importante SE INSCREVA NO CANAL!


domingo, 29 de janeiro de 2017

Saudações Socialistas!

Bora lá Companheirada de Caieiras!

2017 é um ano de grandes desafios para nós Militantes da Esquerda Comprometidas com a Defesa da Vida e da Dignidade Humana, nossa cidade de Caieiras a exemplo do Brasil e do Mundo passa por um grande retrocesso político com ataques severos aos Direitos da Classe Trabalha e da Juventude. Como exemplo claro temos o aumento abusivo das Tarifas de ônibus (4,20 é um Assalto) e IPTU e o agravamento do péssimo atendimento na Saúde, Educação, Cultura,etc. Só com Organização Política e Mobilização Social seremos capazes de enfrentar e derrotar o avanço dos setores reacionários.


 
Abraço de Luta!


sábado, 7 de janeiro de 2017

Minhas Confissões

CONFISSÕES...

Confessar-me a mim mesma, mergulhar no mais profundo do meu eu, desbravar o âmago do meu ser, caminho árduo que me pus a percorrer acreditando-me mestra de mim mesma, confiante do meu próprio saber, peguei a estrada... já nos primeiros pedregulhos tornou-se quase impossível equilibrar-me sobre os saltos alto e suportar o peso da bagagem. 
Quanto excesso me dispunha carregar!?
Qual penoso foi aquele porfiar!
Onde estou eu agora?
Numa praia “quase virgem”, sob o sol escaldante do meio-dia vestida em trajes de gala. Na contemplação do mar, num sopro de vento, me vem o oráculo de Delfos. “Conhece-te a ti mesma!” Quase que por encantamento vi meu dedo indicador desenhar na areia a imagem que a cada traço reconheci sendo de um sábio, estatura mediana, barba branca, expressão serena, voz tênue a se confundir com a brisa do mar. “Ninguém educa a ninguém, como tampouco ninguém se educa a si mesmo: os homens se educam em comunhão, mediatizados pelo mundo” .
Eureka!

Diante dele, o Mestre Paulo Freire, despi-me sem nenhum puder, lancei ao mar tudo o que reconheci de inútil em minha bagagem...  Em vestes simples, chinelas de dedo, mergulhei naquela mar... do qual sai, “meio cheia daquilo que penso saber e meio vazia do que sei que é preciso apreender.”


terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Carpe Diem...

Manhãs Ensolaradas!

Manhãs ensolaradas e quentes
(Como a de hoje)
Fazem suar a pele
Elevam a`lma da gente
Quando o silêncio é quebrado
Pelo uivo do vento matinal
Foge-nos dos lábios aquele sorriso maroto
E nos percebemos outra vez Infante!

https://www.letras.mus.br/milton-nascimento/102443/

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Eu diante do espelho: Filosofando e poetizando a vida!


Eu diante do espelho
Olhando-me nos olhos
Afagando-me a`lma
Me fazendo juras de amor próprio
Cantarolando Essa (Sempre) Nova Mulher!

"Livre, livre, livre para o amor
Quero ser assim, quero ser assim
Senhora das minhas vontades e dona de mim
Livre, livre, livre para o amor..."

https://www.letras.mus.br/simone/250907/

Lúcia Peixoto - Presidenta da APROFFESP Convida para às Plenárias de 22/...

ASSOCIAÇÃO DOS PROFESSORES/AS DE FILOSOFIA E FILÓSOFOS/AS  DO ESTADO DE SÃO PAULO CONVIDA - Plenárias Regionais e Plenária Estadual TEMÁTI...