quinta-feira, 24 de novembro de 2016

FILOSOFIA AFRICANA: Ubuntu

Conferência apresentada no V SEMINÁRIO PRESENÇA AFRICANA NO BRASIL realizado nos dias 14, 15 e 16 de outubro no auditório do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP), em Curitiba.

domingo, 20 de novembro de 2016

Clara Nunes - Canto das 3 raças


"Ninguém ouviu
Um soluçar de dor
No canto do Brasil

Um lamento triste
Sempre ecoou
Desde que o índio guerreiro
Foi pro cativeiro
E de lá cantou

Negro entoou
Um canto de revolta pelos ares
No Quilombo dos Palmares
Onde se refugiou
Fora a luta dos Inconfidentes
Pela quebra das correntes
Nada adiantou

E de guerra em paz
De paz em guerra
Todo o povo dessa terra
Quando pode cantar
Canta de dor

E ecoa noite e dia
É ensurdecedor
Ai, mas que agonia
O canto do trabalhador
Esse canto que devia
Ser um canto de alegria
Soa apenas
Como um soluçar de dor"

Composição: Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro

ABAYOMI: Encontro Precioso!

As Abayomi são pequenas bonecas pretas, feitas de pano e sem costura alguma, apenas com nós ou tranças. A boneca Abayomi valoriza a cultura africana e contribui para o reconhecimento da cultura afro-brasileira, pois faz parte da herança cultural dos negros africanos para o Brasil.

Feita pelo meu filho na Escola

A palavra Abayomi significa: encontro feliz, ou encontro precioso, aquele que traz felicidade e alegria.

História: Para acalentar seus filhos durante as terríveis viagens a bordo dos tumbeiros – navio de pequeno porte que realizava o transporte de escravos entre África e Brasil – as mães africanas rasgavam retalhos de suas saias e a partir deles criavam pequenas bonecas, feitas de tranças ou nós, que serviam como amuleto de proteção. As bonecas, símbolo de resistência, ficaram conhecidas como Abayomi, termo que significa ‘Encontro precioso’, em Iorubá, uma das maiores etnias do continente africano cuja população habita parte da Nigéria, Benin, Togo e Costa do Marfim.

Dia da Consciência Negra: Salve Zumbi e Dandara de Palmares!


 Zumbi e Dandara de Palmares Presente na luta de Tod@s nós Afrodescendentes!

Para alem do "racismo" hoje lembrado
Filosofo sobre a questão de Gênero
O lugar da mulher negra
Pela historiografia oficial usurpado
Faço memoria à Dandara de Palmares
Mulher negra guerreira
Que por amor foi com Zumbi casada
Capoeira das mais bravas
Empunhava armas, branca ou de fogo não importava!
Ao lado de Zumbi governava
Em defesa do Quilombo na luta por liberdade
Dandara não tombou viva
Se atirou dum penhasco
Melhor morta que escrava
Quisera a história, branca machista enterrar Dandara
Não lhe escreveram a biografia
Não registraram sua idade, Onde nascera, filha de quem era
Mas aqueles que se rebelaram, de boca em boca contaram
Se é verdade que Zumbi foi Rei
Dandara foi rainha de Palmares!

Por Douglas Belchior: "A história do Brasil é uma história de Genocídios:O Genocídio das populações originárias, renomeada indígena. Estima-se que os portugueses encontraram nestas terras mais de 1.000 povos que perfaziam de dois a seis milhões de pessoas.
O Genocídio negro, através de um regime de escravidão que durou 388 anos e que custou o sequestro e o assassinato de cerca de 7 milhões de seres humanos africanos e outros tantos milhões de seus descendentes.
O Genocídio negro e o  indígena continuam, caracterizados hoje pela ação do Estado e de seus governos através da violência dirigida às poucas comunidades indígenas e quilombolas e ao povo negro das cidades, ambos barbaramente vitimados pela ação policial, bem como pela negação de direitos sociais e de oportunidades, cristalizadas a partir da abolição da escravidão.
É preciso admitir: Temos no currículo, infelizmente, um dos maiores crimes de lesa-humanidade já vistos.
20 de Novembro é o Dia Nacional da Consciência Negra. É o momento de celebrar a memória Zumbi dos Palmares e Dandara, herói e heroína do povo brasileiro. Mas acima de tudo é um dia de reflexão e busca de novas formas para enfrentar a triste herança de tanta violência e opressão: o racismo.
Neste mês de Novembro, é preciso destacar e reafirmar a atuação que escolhemos e acreditamos ser a mais eficiente maneira de combater o racismo e tudo que cerca e alimenta na mentalidade coletiva a naturalização da violência e as injustiças dirigidas ao povo negro brasileiro: a Educação Popular.
Os Cursinhos Comunitários da UNEafro-Brasil, organizados em 42 Núcleos de Base em bairros de periferias de São Paulo (a maioria), mas também em Duque de Caxias (RJ), em Salvador (BA) e no Pará (Altamira), se propõe ao mesmo tempo, oferecer um serviço de reforço escolar e preparação para vestibulares e para o ENEM e trabalhar também conteúdos que visam o aguçamento da capacidade crítica dos estudantes e seu possível engajamento nas causas populares de enfrentamento ao racismo, ao machismo, à homofobia e a todos as formas de opressão e injustiças."
http://negrobelchior.cartacapital.com.br/consciencia-negra-e-racismo-educacao-e-a-saida/

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Filosofia e religiâo Africana sobre sexualidade. Manuel Cochole

20 de Novembro: Dia da Consciência Negra!

20 de Novembro é necessário, temos que celebrar a Consciência Negra! Fazer memoria dos 300 anos de escravidão aos mais de 9 MILHÕES DE AFRICANOS arrancados de sua Pátria.

Salve Guerreiros, Zumbi e Dandara dos Palmares Presente!

Para alem do "racismo" hoje lembrado
Filosofo sobre a questão de Gênero
O lugar da mulher negra
Pela historiografia oficial usurpado
Faço memoria à Dandara de Palmares
Mulher negra guerreira
Que por amor foi com Zumbi casada
Capoeira das mais bravas
Empunhava armas, branca ou de fogo não importava!
Ao lado de Zumbi governava
Em defesa do Quilombo na luta por liberdade
Dandara não tombou viva
Se atirou dum penhasco
Melhor morta que escrava
Quisera a história, branca machista enterrar Dandara
Não lhe escreveram a biografia
Não registraram sua idade, Onde nascera, filha de quem era
Mas aqueles que se rebelaram, de boca em boca contaram
Se é verdade que Zumbi foi Rei
Dandara foi rainha de Palmares!






http://www.aslendasdedandara.com.br/

Consciência Negra (Poesia) - Fabio Brazza

Se houver preconceito,negro não se cale... Não é pela pele é pelo apelo!

sábado, 12 de novembro de 2016

Encontro: Centro Cultural São Paulo

Hoje (depois de algum tempo)
De trem Atravessei a cidade
Seguindo os trilhos
De Caieiras à Vergueiro
De uma Estação à outra 
Prestando atenção no povo que gritava

Amendoim doce...
Você escuta e fala, só 5 real o fone...
Na minha mão é 3 barra por 5...
Chocolate, água, saquinho de batata...
Governo safado...
Político corrupto é tudo igual...
Tô desempregada...

Uma ajuda pra levar comida pra casa
Uma moeda que seja,
Em nome de Jesus Cristo
É pra comprar remédio
Passei em três postos e não tinha nada

Viagem concluída
Respirei aliviada
Os jardins do CCSP estão bem cuidados
Muita gente bonita espalhada
Uma menina-moça...
Saia tipo indiana, cabelos trançados...
Enrolando um baseado
Achei linda (a liberdade) daquela menina!

Com quarenta minutos de atraso
Cheguei ao local combinado
Mesmo lugar, vinte anos passados
O mesmo assunto em pauta
O abraço sempre inédito
O bem quer aumentado
Gratidão meu clássico Camarada
Juntei estas palavras
Como pretexto pra te dizer obrigada!
Querido Camarada Alfredo Dos Santos <3
 — sentindo-se renovado.

APOIO A CANDIDATURA DO PROF. ALDO SANTOS 5065: Carta aos Professores e Professoras

Neste momento de profunda divisão entre os detentores do capital e os explorados historicamente pelo sistema capitalista, não tem espaço...