terça-feira, 9 de janeiro de 2018

110 Anos de Simone de Beauvoir: "Mulheres, vocês devem tudo a ela!".

Dia 9 de Janeiro de 2018 comemoramos o aniversário  de 110 anos da imortal Simone de Beauvoir. Escritora e filósofa francesa, notória defensora das causas feministas, e uma das maiores representantes do pensamento existencialista francês.

Não é raro questionamentos, ainda hoje, sobre o lugar da mulher na construção histórica do pensamento filosófico, a exemplo de tantas outras áreas, as filósofas tiveram muito da sua contribuição usurpada, bastando um olhar superficial sobre a história da filosofia para notarmos a forma quase sutil com que a presença feminina vai sendo ofuscada e muitas vezes reduzida a um papel secundário, não raras vezes vamos encontrar mulheres mencionadas como: discípulas, amantes, esposas e com menor frequência colaboradoras. No caso de Beauvoir coube-lhe o titulo de "companheira de Sartre" titulo este que ela nunca renegou, sem jamais esconder sua afetividade tão pouco deixar-se diminuir pelo brilho inegável do companheiro.

Nós mulheres não só as filósofas todas as que ousam tomar nas mãos as rédeas da vida devemos muito à memoria de Simone de Beauvoir e devemos repetir de peito estufado a manchete que anunciou em 1986 o falecimento da filosofa "Mulheres, vocês devem tudo a ela!".
Devemos a superação do lugar social que havia sido a nós destinado milenarmente pelo patriarcalismo onde eramos destinadas à procriação, ao lar, para agradar ao homem detentor do saber por sua suposta superioridade. "O homem é definido como ser humano e a mulher é definida como fêmea. Quando ela comporta-se como um ser humano ela é acusada de imitar o macho." Somos grata a Simone por nossa feminilidade privada e pública, por nos ter mostrado a chave das cozinhas, quartos e salas de estar onde por séculos quiseram nos aprisionar, como ainda querem hoje, os que nos desejam, "belas, recatadas e do lar".

"Uma mulher torna-se plenamente humana quando tem oportunidade de se dedicar ao exercício de atividades públicas e quando pode ser útil à sociedade".

"Que nada nos limite, que nada nos defina, que nada nos sujeite. Que a liberdade seja nossa própria substância, já que viver é ser livre. Porque alguém disse e eu concordo que o tempo cura, que a mágoa passa, que decepção não mata. E que a vida sempre, sempre continua."

Simone de Beauvier, Presente!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lúcia Peixoto: Sou PSOL sonho socialismo

Do dia de hoje só espero que passe compassadamente, num constante tic-tac Que os pássaros que ouço ao longe não se cansem de cantar Que a...